Notícias

 

29/3/2011
Bancos locais lideram emissões privadas

Além de dominarem o mercado de varejo, os grandes bancos que atuam no Brasil estão assumindo a liderança como coordenadores de operações de renda fixa no Brasil em 2011. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), até o dia 18 de março, o Bradesco BBI lidera em volume financeiro e em número de operações coordenadas, com R$ 3,034 bilhões e 21 operações finalizadas.

A segunda colocação é registrada pelas operações lideradas pelo Banco do Brasil, com volume de R$ 2,389 bilhões e 9 operações, seguido pelo Itaú BBA, com montante financeiro de R$ 1,588 bilhão e 7 operações realizadas.

Nos últimos 12 meses, a posição dos principais bancos não muda. O Bradesco lidera com 20,967 bilhões, com participação de mercado de 25,4%. O Banco do Brasil e o Itaú seguem logo atrás, com volume financeiro de R$ 16,677 bilhões e R$ 15,734 bilhões, respectivamente. A fatia de mercado do BB está em 20,2%, enquanto o Itaú tem 19,1%.

Em número de operações nos últimos 12 meses o Bradesco permanece na liderança, com 107 operações, seguido pelo Itaú e Banco do Brasil com 69 e 59 operações, respectivamente. Está é a única medição de emissões de renda fixa em que o Itaú assume a segunda colocação, o que deixa o Banco do Brasil em terceiro.

No acumulado de 2011, em renda variável, o Itaú BBA lidera em volume financeiro, entretanto, os dois bancos que aparecem em seguida são estrangeiros. Vale destacar que o Itaú lidera com o mesmo volume apresentado pelo Banco Credit Suisse.

O Bradesco quer aproveitar o bom momento em todos os segmentos que atua para atrair mais investidores estrangeiros para seu bloco de acionistas com direito a voto. O banco anunciou ontem que pediu ao Banco Central autorização para aumentar de 14% para 45% o limite de participação estrangeira dentro do seu capital votante.

O banco pretende fazer um novo programa de American Depositary Receipts (ADRs) na Bolsa de Nova York, mas desta vez com papéis lastreados em ações ON. Segundo o Bradesco, a intenção é dar maior liquidez para os papéis, e diminuir a diferença de preço para as ações PN. Ontem, as ações com direito a voto do banco terminaram em alta de 4,63%, cotadas a R$ 26,20, enquanto as PN tiveram queda de 0,41%, cotadas a R$ 31,49.

 
         
Rua Doutor Alceu de Campos Rodrigues, 566 - Conjunto 1 - CEP 04544-001 - Itaim Bibi - São Paulo - (11)3849 -3746

Desenvolvido por Diego Fávero